T R A N S P A R Ê N C I A S

domingo, 2 de outubro de 2011

MANDALAS EM MOVIMENTO


No útero da mãe mandala
Renascemos para a vida eterna
Num constante e perfeito equilíbrio
De Paz Amor e Alegria
Obrigada Antonieta abençoada
Por cada uma das tuas mandalas
ternura coração e alegria
Guiam-nos em leve e suave sonho
À essência das nossas vidas

Eu sou João Carlos


FIGURAS traços a PRETO


Gosto de trabalhar aguarela, a cor e a forma escorregam suavemente, e é uma técnica mto subtil pela sua transparência sem limites na expressão, a conjugação das formas na mancha transmitem a imagem que vemos ...



sábado, 24 de setembro de 2011

FIGURAS SUBTIS


A tua existência situa-se entre planos de existência...que pela tua sensibilidade e arte nos mostras em folhas de papel...contendo emoções...que nos apaixonam
MARIA DA NEVE

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

PAISAGENS SUBTIS - I


"Águas serenas que se unem ao céu numa cumplicidade intemporal", emanam das telas de Antonieta Castro. Este é um belíssimo apontamento que nos permite "velejar por uma doce brisa"
CARLOS VIEIRA

domingo, 28 de agosto de 2011

REFERENTE ÀS OBRAS NO CLUBE LITERÁRIO DO PORTO



A obra exposta da aguarelista, dividida por três núcleos, mostra paisagens urbanas (as pontes sobre o Douro), os barcos, as casas. Ela prossegue uma obra coerente, simples e de cores e formas agradáveis. A aguarela presta-se aos seus objectivos: a claridez da cor por oposição ao nebuloso da forma, que remete para o onírico e a harmonia



sábado, 27 de agosto de 2011

CLUBE LITERÁRIO e as "SUBTILEZAS"



















NAS OBRAS DE ANTONIETA CASTRO


As cores chegam-nos num suave silêncio… que se vai esbatendo á medida que nos deixamos velejar por uma doce brisa até às profundezas da “serenata” de Schubert … Águas serenas que se unem ao céu numa cumplicidade intemporal. Reflexos de uma alma de luz esboçam a paz branca que envolve embarcações de sonhos … imaginários de cores suaves… vestígios de vida! Apontamentos de quem navega ao encontro de alguma claridade … ou de si próprio… á velocidade dos sentimentos, quem sabe rumo a um novo amanhecer ou ao (re)encontro de um espaço e de um tempo por viver. Subtilezas … da arte sublime … de quem pinta com a água a água de onde emerge o próprio Ser.

ana homem de albergaria

domingo, 21 de agosto de 2011

EXPOSIÇÃO DE AGUARELAS


Exposição de Aguarelas no Clube Literário do Porto
Rua da Alfândega, nº 20 Porto

Está patente desde o dia 23 de Agosto, terça feira pela 20 horas, até ao dia 31 de Agosto